segunda-feira, 10 de maio de 2010

equilíbrio ?

.

Em pretérito perfeito
Afirmo meu passado distorcido
todos os erros acometidos
que descansam, subjugados
aos mais recentes

Palavras latejantes
que cortaram a garganta
esses sentimentos infantes
que surgem

vicio tudo à trama
de meus pensamentos
que alumina de maneira
confusa e disforme

Antes disso
agora mais que perfeito
chego a pensar que errei
quando ao nascer respirei

toda a dor que causei
e toda dor que causo
Não equivale a que recebo
o dito eterno retorno, percebo,
parece tão falso
quanto a coerência de meus poemas

procuro uma resposta para este
desequilíbrio
crio transtornos
mas o peso se esconde
por traz de meus olhos
onde não posso vê-lo

embora seja tão nítido
em minha imaginação.
Quanto o calor do verão
é em meu suor
….


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário